Visite o canal do Prof Ronaldo no Youtube

Loading...

segunda-feira, 16 de março de 2009

NASA em busca de planetas similares a Terra





A Nasa, a agência espacial americana, lançou uma missão não-tripulada para procurar planetas parecidos com a Terra onde possa haver vida.
A sonda Kepler foi lançada de Cabo Canaveral, no Estado da Flórida, nos Estados Unidos, e vai orbitar o Sol para observar cerca de 100 mil estrelas em uma região distante da Via Láctea.

De acordo com Edward Weiler, diretor de missões científicas da Nasa, a missão é histórica, e não apenas científica.

"A missão busca responder algumas questões humanas básicas que fazem parte de nosso código genético desde que o primeiro homem ou mulher olhou para o céu e disse: 'nós estamos sozinhos?'"

A sonda é equipada com a maior câmera já enviada ao espaço para constatar se há planetas rochosos ao redor do Sol, em uma área quente conhecida como zona habitável. A intenção é encontrar planetas onde haja água em forma líquida, um elemento fundamental para a manifestação de qualquer atividade biológica.

Para identificar os planetas, a Kepler vai verificar pequenas oscilações periódicas na luz emitidas por planetas em movimento quando passem por suas estrelas, o que causa uma alteração na luminosidade.

"Tentar detectar planetas do tamanho de Júpiter com esse método é como tentar medir o efeito que um mosquito causa ao passar em frente ao farol de um carro", disse James Fanson, diretor de projetos no Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da Nasa.

'ET'

De acordo com o cientista responsável pela sonda Kepler, William Borucki, do Centro de Pesquisa Ames da Nasa, na Califórnia, a espaçonave vai monitorar estrelas pequenas e frias, além de maiores e mais quentes.

Ele disse que a missão pode contribuir para a compreensão de outros sistemas estelares, mas que o conhecimento a ser adquirido ainda é enorme.

"Eu penso que ao entender planetas gigantes e pequenos vamos fazer descobertas significativas sobre outros sistemas planetários, mas não espero que tenhamos todas as respostas em três anos", disse ele.

"Nós certamente não vamos encontrar o ET, mas talvez possamos encontrar a casa do ET ao observar essas estrelas", finalizou Borucki.

Nenhum comentário: